.

.

.

.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Abril Para o Teatro 2017 reúne artistas pernambucanos com teatro de rua em Caruaru


O Abril para o Teatro acontece em sua terceira edição, esse ano com o tema “A Rua Será Nossa Casa” de 26 à 30 de Abril em frente ao Mamusebá, no polo cultural da Estação Ferroviária, em Caruaru. A programação conta com espetáculos da capital e região metropolitana, agreste e sertão. O festival “Abril para o Teatro” é uma grande mostra de apresentações teatrais com espetáculos de rua, intervenções artísticas, exposição da arte viva de Mestre Zé Gomes do Mamusebá, show musical, oficinas e debates.

Com direção geral de Rafael Amancio, coordenação de produção de Mariana Granja e realização da Cartola Produções, o evento contará com cinco dias, iniciando na quarta-feira dia (26) e encerrando no domingo (30), oferecendo ao público jovem e adulto uma programação variada e aos profissionais da área teatral de diversas regiões de Pernambuco, uma oportunidade de mostrar a qualidade do seu trabalho de forma gratuita ao público na rua, palco do artista popular. 
Além dos espetáculos, na programação terá o mercado criativo, uma feira de microempreendedores que estarão expondo sua arte e comercializando durante todo o Abril para o Teatro

Entre as atrações do Abril, estão:

dia 26  às 20h - pa(IDEIA) Pedagogia da Libertação Coletivo - Grão Comum e Gota Serena/Recife-PE
dia 27  às 20h - Circo dos Malungus - Grupo Mulungu Teatro de Bonecos e Atores de Igarassu-PE
 - dia 28  às 20h - O Pescador Produção Independente - Tom Dunes de Belém de São Francisco-PE
20h30 h(EU)stória- O Tempo em Transe de Recife-PE Coletivo Grão Comum e Gota Serena/Recife-PE 
dia 29 às 16h - Retalhos de um Circo de Rua - Coletivo Criô Criô/Recife-PE
19h - O Deus que Devasta mas Também Cura - Coletivo Agridoce de Teatro/Cabo de Santo Agostinho-PE  
20h  - Aboio Toada Ligeira pra Surubim - Grupo Procênio/Surubim-PE 
21h - Roda de Conversa - 30 anos de trajetória do MTP (Movimento de Teatro Popular de Pernambuco) 
dia 30 - 10h às 12h - Oficina  ‘‘Palhaçaria’’ APACEPE (Associação dos Produtores de Artes Cênicas de Pernambuco) Por Walmir Chagas de Recife-PE, 
14h às 16h - Oficina ‘‘Ator e a Atriz no Teatro de Rua" (MTP)- Movimento de Teatro Popular de Pernambuco de Recife-PE, 
17h - Espetáculo de Bonecos Mamusebá do Teatro Oficina Mamusebá/ Caruaru-PE 
19h - Sucata, Benedito, Ventania e Mariá do Teatro Oficina Mamusebá/ Caruaru-PE,
20h - Show com Tony Maciel e convidados/Caruaru-PE. 

Gilmar Teixeira, ator, cenotécnico, diretor e palhaço é o homenageado desta edição do Festival

Toda a programação foi escolhida com base no tema do festival, “Procuramos politizar a rua e torná-la um ambiente que sempre foi, do povo. Temos como tema a rua, onde aconteceu a primeira manifestação do homem através do teatro e grandes revoluções também. Iremos trazer temas como Paulo Freira com a “Pedagogia da Libertação”, Glauber Rocha com o cinema novo, vamos rir bastante com os espetáculos de palhaços, vamos cultuar o aboio a Surubim, inovaremos no encerramento com os arranjos cuidadosos de Tony Maciel e convidados. Será um momento cultural e de muito grito por liberdade, respeito e dignidade ao artista que produz e realiza a cultura popular” revela Rafael Amancio, diretor geral do festival.

A organização do festival decidiu se solidarizar com os deficientes visuais que diariamente sofrem com a falta de estrutura física e urbana em Caruaru, como a falta de sinalização e de equipamentos sonoros nos sinais de trânsito.

A falta de sinais sonoros em Caruaru, tem prejudicado as pessoas que possuem alguma deficiência visual. O equipamento facilita na hora de atravessar ruas movimentadas ao emitir um som e informar que o pedestre pode realizar a travessia, e entre outros equipamentos que poderiam ser implantado nas praças, transporte público e estabelecimentos de uma forma geral. De acordo com dados da Secretaria Estadual de Saúde (SES), cerca de 10% da população pernambucana possui algum tipo de deficiência, seja física, auditiva, visual, mental ou intelectual. A Política Nacional de Saúde da Pessoa com Deficiência tem como propósitos proteger a saúde da pessoa com deficiência, reabilitar a pessoa com deficiência na sua capacidade funcional e desempenho humano, contribuindo para a sua inclusão em todas as esferas da vida social e prevenir agravos que determinam o aparecimento de deficiências. Porem, o poder público sozinho não age. A proposta é ir às ruas no dia 30 no encerramento do festival, reunindo o máximo de artistas que se solidarize com a ação, a intervenção artística será em prol de melhoras na estrutura urbana para deficientes visuais em Caruaru.

O homenageado será Gilmar Teixeira, ator, cenotécnico, diretor e palhaço. Gilmar herdou da mãe e do pai o gosto pelo circo..Participou de oficinas com Luiz Mendonça e Izaque Gondim. Dentre tantas experiências artísticas, foi integrante do Circo Caoma. “Os artistas caruaruenses são genuínos e respiram a cultura popular que é criada na rua. Somos berço da cultura e precisamos apenas da oportunidade de trabalhar” ressalta Sebastião Alves, o Sebá.

Serviço:
Os espetáculos e oficinas serão gratuitos, assim como as demais atrações do Festival. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário