.

.

.

.

terça-feira, 9 de maio de 2017

Entrevista com Erasmo Miguel

A entrevista foi publicada esta semana no Jornal Extra.
JORNAL EXTRA – Você tem um diferencial de promover o diálogo de músicas de diversos estilos com a música nordestina. Como isso surgiu?
ERASMO MIGUEL – Fui criado ouvindo Trio Nordestino e Coronel Ludugero. Inclusive Seu Tonico (personagem utilizado no programa de rádio ‘Louvor Nordestino’) é uma criação baseada em Ludugero. Eu venho de uma cultura muito grande, meus tios eram forrozeiros, batia zabumba, triângulo.
Sou hoje um homem cristão evangélico. Trabalho numa rádio, a Nova FM (105,9), onde faço um programa com músicas gospel, mas eu me orgulho das minhas raízes culturais. O programa é feito para o povo.
JORNAL EXTRA – Você está finalizando o 18º CD de sua carreira. Qual será o diferencial?
ERASMO MIGUEL – Eu gravei ‘Trem Bala’, que é uma canção que está na moda, da Ana Vilela. Ela cantou, jogou na internet, a letra muito boa, está todo mundo gravando. Eu percebi que a batida dela era de música nordestina. Cheguei para o músico Joseano Silva, que é o produtor do disco, disse que essa música era um baião. Coloquei na rede social e o Pe. Fabio de Melo ouviu e gostou do arranjo e disse a mim que ia gravar, com o mesmo arranjo. Na rádio, é a música mais pedida, é uma música muito boa. Mesmo assim, estamos ainda em estúdio e posso garantir para o público que o repertório terá muitas surpresas e outras novidades, que não vou antecipar agora.
JORNAL EXTRA – Há algum outro desejo de gravações que você ainda não realizou?
ERASMO MIGUEL – Ainda quero fazer um CD só com canções culturais que sejam seculares, no entanto, que tenham a mensagem que abençoe as pessoas.
JORNAL EXTRA – Para você, a música tem um poder transformador?
ERASMO MIGUEL – Eu aprendi mais coisa com a música, do que com a leitura, particularmente. A música chega mais fácil na alma, do que qualquer outra coisa. Ela entra na mente, vai para o coração. Eu já deixei de tomar posições equivocadas na vida após ouvir uma música.
JORNAL EXTRA – Ao longo destas três décadas de caminhada artística, tem alguma história que marcou a sua carreira?
ERASMO MIGUEL – Tem uma história que me marcou muito. Uma irmã ia para a Igreja Vale da Benção Central. Eu cantava sempre nas quintas-feiras à tarde. E ela ia lá. Na época, eu estava lançando meu primeiro CD, com o título ‘Deus vai na frente’, e o marido dela não gostava de evangélicos e era contra ela frequentar os cultos. Ele havia armado um plano de quebrar tudo o que ela tivesse de artigo religioso em casa. Porém, naquela ocasião, ela comprou um CD meu e, quando chegou em casa, colocou-o para tocar. Quando ele começou a ouvir a primeira música, ficou emocionado e começou a chorar. Abraçou a esposa e pediu perdão. Foi ele mesmo quem me contou essa história, em um Encontro de Casais, dizendo que a mensagem daquela música transformou a sa vida.
JORNAL EXTRA – Qual o seu contato para shows?
ERASMO MIGUEL – Tem o número (81) 9 9575-4765, que também é WhatsApp. Eu também estou em todas as redes sociais. É só procurar pelo nome ‘Erasmo Miguel’.

Um comentário: