.

.

.

.

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Festa de São João transforma avenida Paulista em arraial nordestino


Essa foi a manchete da Folha de São Paulo e o destaque foi dado também em várias mídias de circulação nacional. O ator caruaruense Rafael Amâncio, jornalista e com atuação muito forte na cultura, esteve como Mestre de Cerimônia junto com o grupo de artistas de Caruaru participando deste evento na Avenida Paulista. Um evento que teve a participação desta delegação e foi muito bem sucedido realizado por José Pereira Produções. Nessa entrevista ele nos conta um pouco de como foi essa experiência.

Chegada e Recepção:
Saímos de em meio a fogos dos festejos juninos de Caruaru, bacamarteiros, as fofoqueiras, a Cigana, quadrilha Molecodrilha, banda de pífano Dois Irmãos com seu João do Pife, trio Pé de Serra e toda a equipe rumo a Recife para o voo direto pra São Paulo, a madrugada foi de descanso na aeronave, todos estavam trabalhando no São João de Caruaru.
A nossa chegada foi receptiva ao prédio da FIESP e SESI São Paulo. Estávamos num grupo enorme mas todos bastante motivados, conforto e toda a assistência necessária nos foi dada, chegou a hora de subir ao palco, eu estava muito apreensivo, não sabia o que poderia encontrar pela frente. Exatamente as 14 horas iniciamos a jornada do São João cultural na avenida Paulista com o seguinte verso:

"Quando um trio vem pra frente
O povo se aproxima
Sai do canto esfrega as mãos
Chega vem com auto estima
É o trio do forro
Que chego o bigode dá nó
Ta só esperando a rima
Pra começar a grande festa
Que vai ficar pra história
Na avenida Paulista".

SAO PAULO, SP, BRASIL, 25-06-2017: Grupos de quadrilha e artistas de Caruaru (PE), durante apresentacao de Festa Junina, na avenida Paulista, em Sao Paulo. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress, COTIDIANO)
Foto: Eduardo Anizelli - Folha de São Paulo
Reação do Público:
O público modesto que por ali passava sabia que o negócio ia pegar fogo, então convidamos o trio fole de ouro, o qual fiz amizade bacana, e de repente uma multidão estava aos pés do palco do São João da FIESP.
Aquilo me deixou mais medroso ainda, mas eu estava acolhido e abraçado pelo público que me encorajou a arriscar mais versos e a fazer daquele momento o melhor para Caruaru, não pra mim, mas para Caruaru, ver os nordestinos chorando emocionados aquilo foi marcante, ao mesmo tempo tudo se transformou num imenso arraiá para mais de 50 mil pessoas.

Apresentações Artísticas:
Então chegou a hora dos bacamarteiros já era 15 horas, eu estava a flor da pele com tudo aquilo, queira dançar forró com todos, desci várias vezes, sempre com muitos registros fotográficos o povo me abraçava e as lágrimas vinham, relatos de saudade da nossa terra, lugares como Toritama, Santa Cruz, Belo Jardim, Belém de São Francisco, Tabira, e tantas outras cidades estavam nos papeizinhos que eles me entregavam pra falar lá no palco. Ao voltar pro palco para apresentar os bacamarteiros esclarecemos que o Exército e a Polícia Federal tinha liberado a pólvora, mas a empresa aérea não, então por ironia do destino, um dos bacamartes estava carregado, a as espoletas estava no bolso da camisa de outro bacamarteiro, isso rendeu este verso de apresentação para apenas um tiro que valeu por dez.

"O bacamarte está na mão
O pipico é semelhante
Parece mais um trovão
O batalhão vai começar
Dando viva a São João"

Então o forró cresceu, exaltei a minha terra, os artistas, Vitalino, José Condé, o grupo feira, Sebá, Vital Santos, Arary Marrocos e Agemiro Pascoal, Azulão, Joana Angélica entre outros. Fui regido e orquestrado pelo sabor das circunstâncias e pelo amor a Caruaru e ao meu nordeste, falei de outros estados Paraíba, Ceará, Maranhão, Alagoas e Piauí. Mostrei que o país de Caruaru tinha artista de diversas artes e gêneros, "isso tudo é o país de Caruaru" era o que eu sempre falava.

Em seguida tivemos a apresentação da Molecodrilha e depois o Trio Capital do Forró, onde realizamos um concurso com casais que estavam à beira do palco desde das 14h. Para subir ao palco e concorrer ao casal Forrozeiros da Capital do Forró, teve casal que caiu, e não aguentou as canelas tremendo de emoção, ao fim foram presenteados com artigos da Feira de Caruaru. Em seguida organizamos uma grande quadrilha que não deu muito certo pela quantidade de pessoas, muita gente, ou seja, depois da grande roda o jeito foi convidá-los ao balancê.

Gratidão e Momentos Finais:
Final das apresentações e os agradecimentos a José Pereira assessor especial de Raquel Lyra que foi quem organizou tudo e estava lá, a todos que estavam nas barracas de comidas típicas que vendeu tudo. Aos artistas que lá estavam representados Caruaru.
Um momento antes da quadrilha foi onde João do Pife, um mestre que foi exaltado e que tive a oportunidade de esclarecer quem ele era de onde veio e o que faz. Emocionado estava nessa hora em vários momentos foi difícil conter as lágrimas de muita felicidade. Estava sendo abraçado no coração do país no lugar dos nordestinos de verdade. Saudosos e cheios de alegria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário