.

.

.

.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Vereadores debatem sobre a situação do Teatro do TEA

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé
Foto Wladimir Barreto
Durante reunião ordinária realizada na Câmara de Vereadores, nesta quinta-feira (3), o vereador Fagner Fernandes usou a tribuna para fazer apelo, no que diz respeito à campanha, na qual o Teatro Experimental de Artes (TEA) está realizando.

O teatro em funcionamento há 25 anos teve sua estrutura comprometida pelas recentes chuvas, que culminou com o desabamento do telhado e do forro do gesso durante a última semana. Em sua fala Fagner Fernandes fez apelo e propôs a união de todos os vereadores para manter em funcionamento um dos nossos pontos de cultura, por onde já passou 5.000 jovens.
Na próxima terça-feira (8), o vereador Fagner Fernandes apresentará requerimento solicitando a Secretaria de Urbanismo e Obras para que sejam viabilizados serviços de ordem estrutural no teatro.
VEREADOR DANIEL FINIZOLA (PT) COBRA MAIS DIÁLOGO DA PREFEITA RAQUEL LYRA COM A POPULAÇÃO
Foto Wladimir Barreto
O vereador Daniel Finizola complementou reafirmando a necessidade de uma ação coletiva que envolva todos os vereadores da Casa.
Finizola está se organizando com outros artistas para realizarem um evento e ajudarem na campanha de reconstrução do Teatro Lício Neves.
TEA
O Teatro Experimental de Arte-TEA foi fundado em Caruaru-PE em 16 de Julho de 1962 com a finalidade de despertar um novo olhar entre aqueles que faziam teatro na região. Hoje, 55 anos depois, Ponto de Cultura e Patrimônio Vivo através do Governo do Estado de Pernambuco e FUNDARPE – Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco, o TEA continua em plena atividade sob a supervisão de Arary Marrocos. Considerado o segundo grupo teatral mais antigo em atividade ininterrupta do país, o TEA tem sede própria, construída a partir da garagem da casa de Argemiro Pascoal e Arary Marrocos. O espaço onde funcionava o Teatro Lício Neves tinha capacidade para 60 lugares. 

Saiba mais sobre a campanha acessando aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário