VENOM por Mary Queiroz

outubro 11, 2018



Apresentado no cinema em 2007 no filme Homem-Aranha 3, o personagem ganhou um bom destaque e deixou os fãs na espera de um longa que pudesse trazer sua origem detalhadamente assim como acontece no universo dos quadrinhos. Eis que agora o público e os apaixonados pelo anti-herói puderam conferir uma das adaptações mais esperadas ao longo destes anos. Seu resultado certamente não foi o esperado e nem ao menos conseguiu exibir algo que o diferenciasse de outras produções, além de desperdiçar a grande oportunidade que Venom  tinha para nos impactar com sua trajetória.


No filme, vemos que em San Francisco, Estados Unidos. Eddie Brock (Tom Hardy) é um jornalista investigativo, que tem um quadro próprio em uma emissora local. Um dia, ele é escalado para entrevistar Carlton Drake (Riz Ahmed), o criador da Fundação Vida, que tem investido bastante em missões espaciais de forma a encontrar possíveis usos medicinais para a humanidade. Após acessar um documento sigiloso enviado à sua namorada, a advogada Anne Weying (Michelle Williams), Brock descobre que Drake tem feito experimentos científicos em humanos. Ele resolve denunciar esta situação durante a entrevista, o que faz com que seja demitido. Seis meses depois, o ainda desempregado Brock é procurado pela dra. Dora Skirth (Jenny Slate) com uma denúncia: Drake estaria usando simbiontes alienígenas em testes com humanos, muitos deles mortos como cobaias.


Certamente tudo que desagrada  está presente na trama, que além de rasa é extremamente limitada e conta com problemas claros de construção da narrativa, seja no roteiro, seja na montagem. Há a clara impressão de que foi uma obra remontada, com visões conflitantes trabalhando numa só produção.  O longa é uma bagunça total. As apresentações são jogadas de forma pouco naturais e o vilão quando surge é pouco impactante, sobretudo por  seu lado inescrupuloso, como também o do cientista arrogante, ser totalmente genérico.  A  exploração  dos simbiontes e o processo de simbiose, é pouco desenvolvido e em muitos momentos chega a ser descartável pela falta de criatividade como foi mostrado quando os hospedeiros reagiam ao contato com os simbiontes.  Sem falar que todos os personagens secundários foram utilizados  convenientemente nos momentos  que servia  somente para antecipar   as ações futuras para depois os esquecer ou excluí-los da trama.


A  presença de Tom Hardy é um destaque, mas por outro lado, oferece  momentos revoltantes, sobretudo porque todos os seus diálogos estão recheados de piadas sem graça que o limita a transmitir todo conflito vivido por seu personagem quando está  servindo de hospedeiro para  o suposto parasita.  Já a Michelle Williams se encontra impossibilitada de nos entregar uma boa performance, já que suas interações funcionam apenas como pontes para as ações que estão por vir. Nem divertida ela consegue ser, por mais que se esforce.

Falando das tão esperadas cenas de ação, é importante ressaltar que não vemos nenhuma evolução, até mesmo nas que os poderes do Venom são mostrados. Embora sua força, resistência, agilidade e reflexos sejam exibidos, deixa a desejar  porque  optaram explorar tudo isso em confrontos onde os  ambientes estavam sempre  escuros e com pouca iluminação. Pra um filme que se propunha entregar boas brigas, só conseguiu mostrar na cena mais importante uma grande confusão visual no final.

Venom é enfadonho, previsível e mais uma das piores adaptações das HQs para as telonas. Se você viu os trailers, certamente quando assistir o filme completo vai saber que já tinha visto tudo que era necessário nas imagens dos trailers.
#Confira
#Assista
#Filmenotadois

PROGRAMA CLUBE DO FILME


Neste sábado, às 13h, tem o  Programa  Clube do Filme, pela Rádio Cultura do Nordeste AM 1.130, apresentado por Edson Santos e Mary Queiroz, receberão os convidados Alefe Robson e Rafael Rodrigues, da Loja Epic Player. O tema deste sábado será: NETFLIX – E O Seu Acervo Sobre Games. Quais as produções adaptadas de games para filmes que a Netflix possui? Existe algum Documentário sobre o tema? O que é melhor: jogar o jogo, ou ver seu filme? Tudo isso e muito mais no programa! Imperdível!

Acompanhe pelo site: www.radioculturadonordeste.com.br
Assista ao vivo pela LIVE do facebook: www.facebook.com/RadioCultura1130

 ESTREIA DA SEMANA

GOOSEBUMPS 2 HALLOWEEN ASSOMBRADO


Na pequena cidade de Wardenclyffe na Noite de Halloween , dois garotos chamados Sonny (Jeremy Ray Taylor) e Sam (Caleel Harris) encontram um manuscrito em uma casa abandonada que era de propriedade de RL Stine (Jack Black) chamada "Haunted Halloween". Quando eles abrem, eles liberam Slappy (Jack Black) que planeja criar o Apocalipse de Halloween com a ajuda de seus aliados monstros como a forma de lobisomem de Will Blake de O Lobisomem da Febre do Pântano, o Abominável Boneco de Neve de O Abominável Boneco de Neve de Pasadena, o gramado gnomos de vingança dos gnomos do gramado e uma variedade de novos monstros. Agora, Sonny e Sam, junto com a irmã de Sonny, Sarah (Madison Iseman) e Stine (também Jack Black), devem trabalhar para frustrar o plano de Slappy antes que tudo esteja perdido.

Filme de comédia de terror americano de 2018, dirigido por Ari Sandel e escrito por Rob Lieber a partir de uma história de Lieber e Darren Lemke . É a continuação de Goosebumps de 2015, ambos os filmes são baseados na série de livros infantis de horror de mesmo nome por RL Stine e estrelas Wendi McLendon-Covey, Madison Iseman, Jeremy Ray Taylor, Caleel Harris, Chris Parnell e Ken Jeong , com Jack Black reprisando seus papéis do primeiro filme. O enredo segue dois rapazes libertando acidentalmente Slappy, o boneco e os monstros Goosebumps em sua cidade, causando uma onda de violência, morte e destruição na noite de Halloween .
Ao contrário do filme anterior, a Village Roadshow Pictures não está envolvida com este filme.

TUDO POR UM POPSTAR


A boyband americana Slavabody, febre entre as adolescentes de todo o mundo, anuncia que irá tocar no Brasil. Gabi decide fazer de tudo para convencer seus rígidos pais a deixá-la partir do interior para a cidade grande conhecer os astros, contando com a ajuda de suas duas melhores amigas, Manu e Ritinha, que são igualmente fãs dos rapazes. O que as meninas não esperavam é que, antes de enfrentar os pais, elas têm que lidar com os ingressos esgotados e o fato de que Dani, a garota mais popular do colégio, vai para o show como VIP, fazendo questão de humilhá-las por isso. Dispostas a tudo para conseguir realizar o sonho, as três amigas entrarão na aventura mais doida de suas vidas, contando com a ajuda de Babette.

Tudo por um Popstar é um filme brasileiro baseado no livro de mesmo nome da escritora Thalita Rebouças. O filme tem lançamento previsto para o dia 11 de outubro de 2018, sendo protagonizado por Maisa Silva, Mel Maia e Klara Castanho.

Confira o Trailer



Você pode gostar também

1 comentários

  1. Eu adoro as animações da Sony estão demais e são sempre tão apaixonantes. Uma delas que eu adorei foi o lançamento deste anos, Pedro Coelho. Excelente filme! Tinha escutado muitos elogios filme pedro coelho crítica e depois de ver devo de dizer que realmente essa animação é excelente e muito criativa. Os filmes de animação são uma viagem cheia de diversão, emoção e aventura. É um filme feito para crianças, mas seguramente vai agradar aos adultos. Indico

    ResponderExcluir