.

.

.

.

Meus Textos

Neste espaço você encontra um arquivo de todos os meus artigos, Opiniões e diversos textos publicados em jornais ou sites. Há cerca de 20 anos que escrevo, tendo começado com uma coluna no Jornal Vanguarda e depois no jornal Extra de Pernambuco. Os Blogs de Mário Flávio e de Magno Martins publicam opinião. Vários sites no nordeste repercutem textos meus. Permaneço contribuindo semanalmente no Jornal de Caruaru com a coluna Cultura & Cidadania.

PUBLICADOS NO BLOG DO MÁRIO FLÁVIO

Grupo de Caruaru vai apresentar Auto das Sete Luas de Barro no Rio de Janeiro

20140805-090242-32562687.jpg
5/8/2014

Grupo Feira de Teatro Popular se desloca para apresentar o espetáculo numa temporada no Estado do Rio de Janeiro. A viagem está marcada para a próxima quinta (07/8), e no domingo (10/9) é que o grupo retorna. “Auto das Sete Luas de Barro” é uma biografia escrita em 1979 sobre o Mestre Vitalino. Com ela, o teatrólogo Vital Santos venceu o Prêmio Molière, concedido pelo Governo Francês.
O espetáculo expressa como Vitalino fala de cada homem simples do nordeste. E mostra como Vital conseguiu reunir poesia, música, e dizer tudo que é preciso, evocar sentimentos e não ser pieguista. No Rio, a apresentação será em Teresópolis no dia 8 e em Nova Friburgo, 9. “Auto das Sete Luas de Barro” é o povo de Caruaru sendo encenado, nossa cultura engrandecida e nossa arte sendo mostrada pelos rincões deste Brasil.

Livro sobre Gregório Bezerra será lançado em Caruaru

5/12/2013

“UM HOMEM FEITO DE FERRO E FLOR”. Foi Ferreira Gullar quem o definiu assim. Florestan Fernandes declarou pós sua morte: “Eis aí a figura enorme desse homem que morreu sem receber os tributos que merecia”. Anita Leocádia Prestes o via como: “pessoa encantadora, muito gentil com todos, em especial com as crianças”. Para seus algozes: um bandido perigosíssimo. Mas se perguntássemos quem foi Gregório Lourenço Bezerra a ele próprio, como se definiria?
Esta resposta poderemos encontrar nas páginas do livro “Memórias de Gregório Bezerra”, que foi escrito pelo já citado no início Ferreira Gullar, e narrado pelo próprio Gregório. A primeira edição do livro foi lançada há mais de 30 anos, em dois volumes. Depois, a autobiografia foi reeditada pela Boitempo Editorial, com de fotos e textos inéditos, e em um único volume.
Pois bem, caruaruenses terão oportunidade de ter também o lançamento deste livro no dia 12 de dezembro, na Academia Caruaruense de Letras. O livro foi elaborado com sob supervisão do único filho vivo de Gregório, Jurandir Bezerra, que mora em Gravatá (PE), da historiadora Anita Prestes, filha de Olga Benário e Luiz Carlos Prestes, do próprio Ferreira Gullar e do ex-vereador recifense Roberto Arrais, este último será o palestrante no evento.
Há também depoimentos do arquiteto Oscar Niemeyer, do cartunista Ziraldo, da advogada Mércia Albuquerque e do governador de Pernambuco Eduardo Campos. Recentemente Gregório teve toda sua história também contada durante sete edições (uma semana) do Diário de Pernambuco num especial denominado MEMÓRIA POLÍTICA.
Para Berthold Brecht “um povo que não tem memória, já morreu ou está morrendo”. Com este pensamento todos estão convidados a participar de mais este momento onde certamente encontraremos quem viveu este passado histórico e também os jovens fazedores da história atual. Em dias tão confusos para muitos, onde encontramos tantos com a “doença infantil do comunismo” quem dera tivéssemos mais gente com o caráter de Gregório capaz de afirmar: “Nunca tive temperamento para curvar-me”.

Brasil em Desenvolvimento: Estado, Planejamento e Políticas Públicas. 

17/02/2012
O IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada publicou em 15 de Setembro de 2009 um documento com o título à cima citando a estrutura participativa criada pelo governo Lula a partir de 2003, constatando um avanço na participação social no país, por meio de conferências públicas, como resposta do Estado ao clamor da sociedade civil por maior controle social e ampliação do espaço político.
O mesmo documento também afirma que ainda faltam mecanismos legais que assegurem a incorporação e a execução das deliberações aprovadas nesses espaços pelo governo federal. O estudo diz que, a capacidade das conferências nacionais de influenciar a formação da agenda de políticas públicas do Governo Federal deriva do vínculo da conferência com marcos legais, ainda que isso não assegure a aplicação das decisões em sua totalidade.
Desde sua criação até 2010, já foram realizadas 111 conferências nacionais e centenas de milhares de conferências intermediárias, nas esferas municipais e estaduais. Do total de encontros nacionais, 9 aconteceram entre 1941 e 1988 – 11 delas referentes ao tema saúde e 1 de Ciência e Tecnologia; e as demais 99 conferências foram organizadas pós 1988 (BRASIL, 2011).
É incontestável que governo Lula priorizou uma gestão mais democrática e participativa e, com tal objetivo, buscou construir um novo pacto com a sociedade civil por meio da criação e institucionalização de novos espaços participativos.
Vem aí a 1ª Consocial
A Conferência Nacional sobre Transparência e Controle Social – 1ª Consocial, cujo tema central é “A Sociedade no Acompanhamento e Controle da Gestão Pública” foi convocada por meio de decreto presidencial de 08/12/2010 e, sob a coordenação da Controladoria-Geral da União tem como objetivo principal a promoção da transparência pública e o estímulo à participação da sociedade no acompanhamento e controle da gestão pública, contribuindo para um controle social mais efetivo e democrático.
A CGU espera mobilizar e envolver mais de 1 milhão de brasileiros ao longo do processo conferencial acerca do debate sobre temas como: a promoção da transparência e acesso à informação e dados públicos, mecanismos de controle social, engajamento e capacitação da sociedade para o controle da gestão pública, atuação dos conselhos de políticas públicas como instâncias de controle e diretrizes para a prevenção e o combate à corrupção, eixos temáticos da 1ª Consocial.
Com a realização da 1ª Consocial, agendada para 18 a 20 de maio em Brasília, os temas e propostas debatidos durante todo o processo conferencial podem transformar-se em políticas públicas, projetos de lei e, até mesmo, passar a compor agendas de governo em âmbito municipal, estadual ou nacional, além de subsidiar a criação de um Plano Nacional sobre Transparência e Controle Social. Desde dezembro a PMC deu um pontapé inicial nesta direção com a implantação do Caruaru 2030. Na próxima semana eu vou trazer informações sobre a CONSOCIAL em nosso estado e município.
Após Ficha Limpa, movimentos querem eleições sem verba privada
Supremo Tribunal Federal valida lei que veta candidatura de pessoas com condenação judicial ou política. Nova regra já valerá para eleições municipais de outubro. Para movimentos sociais, próximo passo para melhorar política é proibir doação de empresas para campanhas eleitorais. Entidades vão colher assinaturas para projeto popular que cria financiamento público.
Ficha Limpa em Caruaru
Como divulgado aqui no blog vereadores aprovaram um Projeto de Lei de autoria do Dr. Demóstenes (PSD), que cria sanções para a nomeação de servidores no âmbito municipal, uma espécie de Lei da Ficha Limpa. “Esse Projeto ajuda a debater a questão ética no poder público, fizemos a nossa obrigação e os vereadores entenderam”, disse o autor do Projeto que aguarda agora sancionamento do prefeito.
Para refletir….
“Aqui, muito se falou sobre Internet, e eu acho que nela há uma trincheira de luta muito importante, mas eu tenho 13.000 seguidores no Twitter, e confesso me sinto muito mais feliz trabalhando com 13 agricultores, 13 desempregados, 13 operários. Muitas vezes nossos movimentos falam pelo povo; querem ser a vanguarda do povo; escrevem para o povo; porém, não se comprometem com o povo. Deveríamos fazer uma certa higienização política. O povo não tem bom cheiro para nós os intelectuais, os artistas, os inteligentes, os cultos Se o povo não vai até nós, não vamos a lugar nenhum.” Frei Betto na sexta passada em Havana, encontro com Fidel.

Para a “Frente” acordar é preciso!

10/02/2012


A edição mais recente do vanguarda (nº 7.456) nos fez recordar 2004. O PCdoB levou até as últimas consequências sua candidatura à majoritária. Na época o candidato da Frente Popular era João Lyra Neto que veio a ser derrotado por Tony Gel por pouco mais de 700 votos. O PCdoB teve 773 votos ajudando a comprometer a eleição da Frente. Na época o presidente e candidato pelo partido comunista era Eduardo Guerra, vindo depois a colaborar na gestão de Tony. Guerra, quando disputou em 2008 uma vaga na Câmara pelo PCdoB teve 535 votos. Mais recentemente a Frente Popular retoma o comando da cidade. Guerra passa a servir na gestão de Queiroz na Ciência e Tecnologia, vindo depois a colaborar na interlocução do governo numa secretaria estratégica e importante, dessa vez estando ele já no PT. 
PCdoB passa a ter nova direção e consequentemente um novo presidente. Lícius Cavalcanti posteriormente assume também a presidência da Câmara, subistituindo um petista. Depois de passar pelo PPS Lícius se candidata pela primeira vez a vereador pelo PT em 2004 e alcança mais de mil votos. Depois, Cavalcanti se candidata pelo PCdoB em 2008 e elege-se vereador com 2.256 votos. Lícius não impõe a sua candidatura ao majoritário, mas põe-se a disposição da Comissão Partidária para cumprir esta missão se assim ela entender necessária. No Executivo o PCdoB tem atualmente 1 Ministro, 42 Prefeitos e 66 Vice; no Legislativo 2 Senadores, 14 Deputados Federais, 18 Deputados Estaduais e 608 vereadores e, pretende ampliar esse quadro. 
Queiroz já sinalizou que vai haver diálogo em busca de um entendimento. Desconheço a autor da frase, mas o recardo é bem pertinente: “A melhor maneira de conduzir uma negociação de sucesso é fazer com que todas as partes fiquem satisfeitas ao fechar um acordo.”
32 anos se passaram… Partido dos Trabalhadores foi fundado no dia 10 de fevereiro de 1980, no Colégio Sion, em São Paulo. O Partido surgiu da organização sindical espontânea de operários paulistas, liderados por Luiz Inácio Lula da Silva e outras lideranças de trabalhadores, no final da década de 1970, dentro do vácuo político criado pela repressão do regime militar aos partidos comunistas tradicionais e aos grupos de esquerda então existentes. Assim, o PT foi fundado com um viés socialista democrático. O Partido dos Trabalhadores foi oficialmente reconhecido como partido político pelo Tribunal Superior de Justiça Eleitoral no dia 11 de fevereiro de 1982. Aniversário será comemorado nesta sexta (10) em encontro com foco em estratégias para eleições municipais. Aliança com PSD em São Paulo, como quer Lula, e chapa própria em Belo Horizonte contra aliado do PSB, motivo de guerra em Minas, expõem dilemas, como os de Pernambuco. Embate estadual com tucanos em 2014 dita negociações. Com 552 prefeituras, PT Brasil deseja avançar, mas qual a meta?
UMA NOVA SOCIEDADE É POSSIVEL… “Eu não aprendi nada com esse episódio, apenas confirmei o que eu já sabia: muita coisa precisa mudar. A gente tem que fazer um pouco para as coisas poderem mudar. Espero que o meu caso sirva de exemplo. Que as pessoas lembrem do meu caso e passem um ensinamento para os seus filhos. Pequenas atitudes vão mudando as coisas. Não adianta porque o mundo não muda de uma hora para a outra.” Vítor Suarez Cunha (Estudante espancado ao defender mendigo).

Participação e mudança pelo voto

03/02/2012

Reaberto o processo de recadastramento biométrico em nossa cidade, quero ressaltar a importância da participação popular no processo eleitoral. O voto ainda é o instrumento mais eficiente de cidadania. Em outubro, brasileiros acima de 16 anos voltam às urnas elegendo representantes para o Executivo e Legislativo, prefeitos e vereadores nos municípios. Este ano é oportuno lembrar não só desse nosso compromisso futuro, mas é tempo de avaliar se os eleitos cumpriram o que prometeram em campanha.
Além disso, é bom trazer a memória o papel que cada um exerce na gestão.
O PREFEITO É REPONSÁVEL POR
Manter o contato com a comunidade, dialogando com as organizações sociais, ampliando a participação nas decisões do governo; Elaborar um programa de governo a partir das necessidades da população; Possibilitar a participação popular na elaboração do orçamento do município;Apresentar projetos de lei;
O VEREADOR É RESPONSÁVEL POR:
Discutir com a comunidade as prioridades e a forma de assegurar um controle popular sobre o uso e aplicação dos impostos arrecadados, garantindo os interesses da sociedade; Cobrar da prefeitura a participação popular no orçamento público do município; Elaborar e votar leis segundo as necessidades da comunidade; Fiscalizar as ações do prefeito, seus secretários e administradores; Lutar pela transparência e democratização da prefeitura e da câmara municipal.Passados mais de três anos, como você avalia os que receberam do povo o mandato nesse período?
A SEMANA
Bastante agitada no cenário político local iniciando com a divulgação da pesquisa pela Folha de Pernambuco, o episódio polêmico da carta que não existiu e o reinício das reuniões ordinárias na Câmara. A pesquisa ajuda a avaliar o momento, corrigir táticas e estratégia dos que pretendem lançar suas candidaturas, formenta a discussão. A confusão em torno da “carta” deve levar petistas a ter mais atenção em todo processo além de ano eleitoral nos municípios o partido prepara-se já também para as eleições internas (início de 2013). Na volta após recesso parlamentar reencontrei vereadores bem dispostos e motivados mas senti falta do povo acompanhando nas galerias.
“EXPLOSÃO DO NEOLIBERALISMO CRIA NOVAS FORMAS DE LUTA”
Em entrevista exclusiva a Caros Amigos, a socióloga Maria Orlanda Pinassi diz que “o mundo vive hoje uma crise sem precedentes na história. Essa crise se manifesta, sobretudo, no empobrecimento material e espiritual dos trabalhadores, condicionados cada vez mais a empregos precarizados e ao desemprego crescente, igual- mente estruturais. Ela ainda comenta as características e implicações dessa crise estrutural e os desafios que ela coloca para os movimentos sociais e organizações de esquerda. vale conferir!
GESTÃO É…
– antes de tudo –, definição de política. E definição de política implica em posicionamento ideológico, não podendo ser confundida com um processo neutro de gestão. As decisões nunca são neutras, assim como a burocracia. Cabe lembrar que uma gestão profissional, e competente, não é sinônimo de tecnocracia, mas sim de uma conduta pública coerente, em que conceitos e políticas são apresentados à sociedade de forma clara, permitindo o debate e transformando esse debate em realizações e conquistas da cidadania. Por isso, os Conselhos são tão estratégicos, cabendo a eles a mediação entre Poder Público e Sociedade. Célio Turino (historiador, ex-secretário de Cultura e Turismoem Campinas/SP (1990/92).
Democratização da Gestão Pública e controle social através do OP.
29/01/2012


O Orçamento Participativo é, hoje, reconhecido no mundo todo como uma das mais importantes inovações em termos de domocratização da gestão pública. Como a administração local tem dito, não existe um padrão absoluto e a diversidade de formatos é uma fonte de riquezas para o avanço geral da prática do OP.
OP é fruto da pressão feita pelos movimentos sociais por melhoria da qualidade de vida no perímetro urbano. Desde a década de 70, que se apela por uma maior participação da população na definição dos rumos da sociedade brasileira.  Depois de destaques significativos em cidades como Vitoria, Vila Velha (ES), Recife (PE) e Porto Alegre (RS) sendo esta última premiada nacional e internacionalmente, que as experiências da participação popular na aplicação do dinheiro público tiveram uma maior visibilidade. Entre 1997 e 2000 cerca de 140 municípios brasileiros começaram a desenvolver ações para consolidar OP. Nos últimos dez anos esse número só aumentou.
Em Caruaru, algumas reuniões já estão acontecendo para consolidação do mesmo. Sendo o passo mais recente, o Caruaru 2030. O OP trabalha uma transformação na cultura política possibilitando uma maior transparência na elaboração e execução do orçamento e inibindo a corrupção e o clientelismo. As plenárias temáticas do OP de nossa cidade já devem começar nas próximas semanas.
Ainda não sabemos se o OP que se forma é apenas consultivo ou deliberativo.
Nosso desejo é que apesar das contradições e interesses diversos, a vontade pública dos que governam e a sociedade civil façam do OP Caruaru um projeto bem sucedido. Onde todos juntos possam superar os desafios de sua implementação e ampliar o alcance da participação dos cidadãos(ãs).
No caso do PC do B, a história desempenhou um papel fundamental no seu nascimento e na sua afirmação frente a outros grupos de esquerda, em particular ao PCB. Nesse caso, foi travada uma verdadeira batalha entre os dois partidos pela memória e história da tradição comunista brasileira.
VERGONHA NACIONAL
Cerca de 2 mil famílias, aproximadamente 10 mil pessoas, que ocupavam um terreno abandonado desde 2004, foram expulsas violentamente no domingo, 22. A área, na cidade de São José dos Campos (SP), pertence ao empresário Naji Nahas, e a comunidade vinha requerendo o direito a permanecer no local. Na sexta-feira, 20, decisão do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, do desembargador Antonio Cedenho, suspendeu a ordem de reintegração de posse da ocupação. Mesmo com a decisão federal, a polícia militar realizou a desocupação com forte aparato, com helicópteros, blindados, armas, bombas de gás e pimenta, a mando do governador do Estado de São Paulo. Manifestações contra a ação violenta permanecem acontecendo pelo país. Voltamos à barbárie?
FÓRUM SOCIAL MUNDIAL
Um dos momentos para aprofundamento da perspectiva dos movimentos sociais sobre a crise e, ao mesmo tempo, para apresentar as propostas de lutas comuns, será organizado amanhã, durante a “assembleia dos movimentos sociais”, que deve reunir os movimentos brasileiros atuantes na Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS), passando por organizações internacionais e também aquelas no campo da Alternativa Bolivariana para as Américas (Alba). Esse processo busca pautar a Rio+20 por meio da Cúpula dos Povos, que acontecerá paralelamente ao evento oficial, em junho de 2012. Mais que isso, pretende organizar um calendário comum de ações.
UM NOVO PROJETO SOCIALISTA É POSSÍVEL?
“A tipologia tradicional dos partidos de esquerda hoje está esgotada e os novos movimentos sociais ainda não conseguiram transcender o nível de mobilização de rua para o de organização política. A esquerda precisa recuperar a ideia de socialismo, mas não há nenhum acordo sobre como fazer isso”.
Tarço Genro – Carta Maior

Um outro mundo ainda é possível

19/01/2012

Na próxima semana inicia-se mais uma etapa do Fórum Social Mundial, agora temático e desmembrado. Reunidos em Porto Alegre, Canoas, São Leopoldo e Novo Hamburgo um público que se propõe debater e elaborar propostas para um novo mundo. Agora temático, o FSM concentra os debates nos temas centrais da conjuntura internacional que são acrise capitalista e justiça social e a justiça ambiental.
O FST 2012 se insere no processo do Fórum Social Mundial, iniciado no Brasil em 2001, e quer ser novamente um espaço de convergência do pensamento altermundista.
Em junho acontece no Rio de Janeiro a Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, que marca duas décadas da Eco92, o FST2012 também se insere como momento preparatório para a Rio+20 dos Povos que será um evento paralelo à conferência oficial e que reunirá lideranças e movimentos dos cinco continentes para pressionar por avanços na defesa dos direitos sociais e ambientais de todos os povos.
Duas décadas depois as promessas feitas pelos governos não foram ainda cumpridas. É preciso que movimentos e ativistassociais estejam presentes para marcar posições de desagrado com o modelo de desenvolvimento das economias capitalista,que gera devastação ao planeta e sofrimento aos povos. Serão dias de centenas de atividades, oficinas, palestras, seminários, conferências e atividades culturais.
De todo os continentes estarão presentes ativistas que foram protagonistas dos novos movimentos, tais como o Occupy Wall Street, a Primavera Árabe, os indignados da Espanha, as manifestações estudantis chilenas, entre outros.  Para se ter idéia da mobilização popular pelo mundo em 15 de outubro do ano passado aconteceram manifestações em quasemil cidades de 82 países.
A indignação com as desigualdades e injustiças políticas e sociais aparece como uma marca comum à maioria destes movimentos que questionam o “sistema” e “poder”, se confronta com sua destrutividade e rompem com a passividade das décadasneoliberais. A política de austeridade promete mais miséria e levam os jovens a se mobilizarem por seu futuro. Em todos os continentes, setores antes apáticos se colocam em movimento de forma pacífica, democrática, pluralista, unitáriaeautônoma em relação ao poder.
Estes movimentos nascem das necessidades e aspirações do presente, depois de três décadas de globalização neoliberal.
A mensagem é uma só: Precisamos reinventar o mundo. Nenhuma resposta efetiva parece estar emergindo dos poderes estabelecidos. Se trata de mudar o sistema para defender 99% da humanidade dos 1% que quer jogar sua crise sobre as costas dos demais. Precisamos reinventar o mundo.
Entre os dias 24 a 29 os Grupos Temáticos debaterão quatro eixos transversais:
1. fundamentos éticos e filosóficos: subjetividade, dominação e emancipação;
2. direitos humanos, povos, territórios e defesa da Mãe-Terra;
3. produção, distribuição e consumo: acesso à riqueza, bens comuns e economia de transição;
4. sujeitos políticos, arquitetura de poder e democracia.
Por uma agenda comum, vamos continuar reinventando o mundo!
 NUM DIA COMO HOJE
 Em 20 de janeiro de 1971 Rubens Paiva, deputado cassado (PSB), é seqüestrado pela ditadura e desaparece, no Rio. O atestado de óbito sai em 23/2/96.
 ATÉ QUANDO?
 Apesar do compromisso do presidente Obama de fechar o centro de detenção de Guantánamo antes de 22 de janeiro de 2010,em meados de dezembro de 2011 o centro albergava 171 homens. Pelo menos 12 dos trasladados a Guantánamo no dia 11 de janeiro de 2002 ainda continuavam presos. Um deles cumpre pena de cadeia perpétua imposta após ter sido declarado culpado por uma comissão militar, em 2008. Nenhum dos 11 restantes foram acusados formalmente. Em 10 anos, somente um dos 779 detidos da base foi trasladado aos Estados Unidos para ser julgado por uma corte federal ordinária. Outros têm sidosubmetidos a julgamentos injustos ante comissões militares. Atualmente, nesse tipo de julgamentos, o governo tenta obter a pena de morte para seis dos detidos. O centro de detenção de Guantánamo, situado na base naval estadunidense em Cuba, converteu-se em um símbolo de tortura e outros maus tratos após ser aberta quatro meses após os atentados de 11 de setembro.
PARA REFLETIR
“Se outro mundo é possível, isso se dará a partir da convergência de todas essas mobilizações, da sincronia entre todos que lutam pela preservação ambiental, do diálogo entre as forças sociais e políticas convencidas de que dentro do capitalismo não há salvação para o futuro da humanidade.” Frei Betto.

Opinião: O “Cavaleiro da esperança” em Caruaru. Por Paulo Nailson

13/012012

A foto a baixo (presenteada pelo amigo Mizael Martins) registra um comício histórico, provavelmente no final da década de 50 para 60. Na Rua da Matriz, num local onde durante muitos anos aconteceriam os principais comícios de nossa cidade. Ao microfone Luís Carlos Prestes, conhecido como “O Cavaleiro da Esperança”, liderou a coluna de rebeldes que por dois anos e cinco meses percorreu 25 mil quilômetros pelo país, nasceu em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, em 3 de janeiro de 1898. Morreu no Rio de Janeiro em 7 de março de 1990, aos 92 anos. 
Filho de Antônio Pereira Prestes (capitão do Exército) e de Leocádia Felizardo Prestes (professora primária). Prestes dedicou mais de 60 anos de sua energia aos ideais em que acreditava. Teve 10 filhos, Anita Leocárdia com Olga Benário, sua primeira mulher e mais nove filhos com Maria Prestes, além de 24 netos e nove bisnetos.
No dia 3 deste mês, quando se vivo fosse teria completado 114 anos, sua segunda esposa que permanece viva, entregou ao Arquivo Nacional 27 pastas com documentos pessoais e cartas do militante comunista com quem conviveu por 40 anos e a quem amorosamente ainda chama de “O Velho”.
Segundo Maria, entre fotos, cartas e documentos está o “Relatório da IV Reunião Anual do Comitê de Solidariedade aos Revolucionários do Brasil”, de fevereiro de 1976, onde constam os nomes de 233 supostos torturadores. Aos 81 anos, ela decidiu doar os documentos daquele que, segundo disse, foi perseguido por 60 anos por lutar por seus ideias de um futuro melhor.
“O Velho tinha uma vida pública e esse acervo pertence aos historiadores e ao povo brasileiro, para que conheçam Prestes melhor”, disse a viúva, lembrando que o marido, apesar de sua intensa militância política, era um homem que amava sua família. Em uma de suas últimas entrevistas, em 1986, um jornalista perguntou se não se sentia frustrado por ter devotado tanto tempo a um ideal, ter sido preso, exilado, e não ter visto mudanças significativas no País. “Absolutamente. A transformação é um processo demorado, um processo longo. Leva tempo para convencer a classe operária que ela deve assumir um papel dirigente na luta por uma nova sociedade.” 
SEIS MESES SE PASSARAM…
Desde quando circulou a primeira edição da Revista Conteúdo, julho de 2011, já se notava sua importância no contexto editorial local e agora na região. É interessante o clima de ansiedade de quem a recebe periodicamente pelo número que ainda não saiu, e a alegria de quem a conhece pela primeira vez. Na revista como no blog Mário Flávio mantém um equilíbrio saudável entre formato e conteúdo que consolida  cada vez mais a ambos no mercado e diante dos leitores.
A COMUNICAÇÃO ENQUANTO DIREITO
Acontecerá em Recife o I Encontro Nacional pelo Direito à Comunicação (ENDC), entre os dias 09 e 11 de fevereiro na Universidade Católica de Pernambuco. Organizado pelo Centro de Cultura Luz Freire (CCLF). Em dezembro do ano passado houve a plenária do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), e também há sujeitos que atuam na “nova política” das marchas e redes sociais e buscam modelos mais horizontais de participação.
Cuidado com os encantos da mosca azul
30/12/2011

Era uma mosca azul, asas de ouro e granada,

Filha da China ou do Indostão.
Que entre as folhas brotou de uma rosa encarnada.
Em certa noite de verão.
Então ela, voando e revoando, disse: 
— “Eu sou a vida, eu sou a flor 
Das graças, o padrão da eterna meninice,
E mais a glória, e mais o amor”.

E ele deixou-se estar a contemplá-la, mudo

E tranquilo, como um faquir,
Como alguém que ficou deslembrado de tudo,
Sem comparar, nem refletir.
Esses trechos iniciam o poema A mosca azul, de Machado de Assis, (Poesias Completas, 1901). Mosca Azul também é, nas regiões mais pobres, atrasadas e sem saneamento brasileiras, um tipo de mosca varejeira, que somente sobrevive porque se alimenta de dejetos humanos.
Conhecendo o poema, a tal varejeira e lendo o livro com o mesmo nome da autoria de Frei Betto, histórico militante da esquerda brasileira. Entre outras passagens, Betto fala com convicção do ideal construído pela nova esquerda após o golpe militar de 1964, da estratégia política voltada para a capacitação de novas lideranças no movimento popular e dos momentos difíceis que enfrentou na prisão, durante a ditadura militar, fui levado a muitas indagações e reflexões sobre o momento sócio-político que estamos inseridos e concluindo mais um ano.
Em alguns momentos que tenho vivenciado e no Caruaru 2030 desta semana, pude ver o governo oportunizando a participação de lideranças eclesiásticas, civil, comunitárias, e das mais variadas ramificações da sociedade.
 Vivemos num clima de euforia com as muitas conquistas, índices expressivamente positivos, expectativas e projeções otimistas tanto para o desenvolvimento econômico, empresarial, urbanístico, social, etc…
 O ano novo se aproxima e viveremos mais uma vez o tradicional clima de “guerra” entre os defensores deste ou daquele candidato.
O recado vem primeiro para mim, pois os ouvidos mais próximos de minha boca são os meus, e vai para todos que terão uma participação mais ativa neste contexto de ser participante das próximas décadas em nosso município, neste clima de euforia de tantas conquistas e boas projeções, cuidemos para não ser picados, ou melhor dizendo, encantados com a mosca azul.
Seja onde for a sua atuação, imprensa, Ongs, sindicatos, movimentos sociais, órgãos governamentais, etc. O que deve prevalecer é a consciência de que o projeto de eleição não deve superar o projeto de cidade. Na medida em que um projeto de cidade for abandonado em favor de um projeto de eleição cria-se um projeto de poder sem a consciência de que este poder precisava ser instrumento que fortalecesse as bases sociais.
Andei pensando por estes dias como será a vida da gente daqui a 20 ou 30 anos. Não saberia descrever nem sei se ainda terei a graça divina da vida. Mas sei que muito do que acontecerá depende das decisões e ações de hoje. Parafraseando Betto sei que não haverei de participar de muitas destas conquistas que virão pela frente. Mas faço questão de ficar ao lado dos que lançam, ainda que em terra árida, as sementes de um futuro melhor.

NOVOS TEMPOS

O que dizer aos deputados petistas que não assinaram o pedido de CPI da Privataria Tucana?

ACONTECENDO NA GRÉCIA
Desde maio, o povo voltou a ocupar espaços que havíamos abandonado nas últimas duas décadas: assembleias gerais começaram a ser organizadas em todas as cidades, retomando as praças públicas.
EM 2012 SEJAMOS…
“do tamanho que se é, nem maior nem menor do que ninguém. E sustentar a esperança na certeza de que só haverá colheita se desde agora se cuidar, delicada e anonimamente, da semeadura. Enquanto uns saem para caçar borboletas, prefiro cuidar do jardim para que elas venham” (Mário Quintana).

Estatuto da Cidade: Avaliação e Desafios à implementação em Caruaru.

16/12/2011 


Criado com o objetivo de estabelecer diretrizes para a organização da vida urbana, ele nasceu numa constatação em que mais de 85% da população brasileira vivem em regiões metropolitanas. Apesar das lideranças políticas e dos movimentos sociais entenderem a nova lei como um instrumento avançado a serviço da sociedade, o estatuto ainda enfrenta muitos desafios pela frente, hoje são mais de mais de 5.500 municípios com seu Plano Diretor elaborado, mais tem muito mais a fazer.
Voltando no tempo, desde a década de 1930, os movimentos populares se organizaram com a ajuda de sindicatos pela regularização dos direitos de quem mora nas cidades. Com a chegada dos anos 1970 e 1980, o fluxo de pessoas que saíam das áreas rurais com destino às cidades aumentava significativamente.
Era inevitável a necessidade de se planejar a sobrevivência dos cidadãos para o século 21. Em 1989, o senador Pompeu de Souza propôs e o Estatuto da Cidade surge como projeto de lei. Em 1999, foi realizada uma conferência com a participação de diversos setores da sociedade, entre eles, geógrafos, arquitetos, líderes do movimento sociais, parlamentares e empresários, para viabilizar uma proposta que priorizasse a função social da nova lei, então o estatuto foi aprovado com a presença de mais de mil pessoas de quase todo o Brasil.
Em 2001, 11 anos mais tarde, ele foi aprovado e sancionado pelo presidente Fernando Henrique Cardoso. De lá pra cá foram apresentadas mais de 16 novas propostas na Câmara e todas ficaram sem avançar, porque determinados setores ligados à especulação imobiliária consideram a lei uma afronta aos seus direitos.
Pois bem, a cidade é fruto do trabalho coletivo de uma sociedade. É nela que ganha vida a história de um povo, seus relacionamentos sociais, políticos, econômicos e religiosos. Com o tempo, naturalmente vem a necessidade humana de se organizar em torno do bem estar comum. Assim conscientes ou não todos querem uma cidade mais justa e mais democrática, que responda nossas expectativas de vida.
O desafio é construir uma cultura política com ética nas cidades, viabilizando que os conflitos de interesse sejam mediados e negociados garantindo esferas públicas e democráticas. É preciso exercitar a prática de discutir os rumos das cidades com os vários setores da sociedade. No Artigo 2, capítulo I, inciso II do Estatuto determina: “gestão democrática por meio da participação da população e de associações representativas dos vários segmentos da comunidade na formulação, execução e acompanhamento de planos, programas e projetos de desenvolvimento urbano;”
Garante-se, dessa forma, a participação da população nas decisões de interesse público, por meio dos instrumentos estabelecidos na Lei. O processo passa pela discussão da população que reflita a cidade onde mora, trabalha e sonha, e faça propostas para corrigir as distorções existentes no desenvolvimento do município.
E nossa cidade como fica neste contexto?
A Lei Orgânica do Município é datada de 05 de abril de 2005, a cidade cresceu desordenada, desrespeitando as margens do rio Ipojuca, e os recuos, sem avançar em leis complementares. O Plano Diretor precisa definir qual é a melhor função social de cada pedaço da cidade, considerando as necessidades e especificidades econômicas, culturais, ambientais e sociais. O Plano deveria ser um verdadeiro pacto sócio-territorial que transformaria nossa realidade.
O Conselho das Cidades aprovou quatro resoluções que orientam os municípios na implementação do Estatuto da Cidade: a de nº 15, cria a Campanha, a de nº 25 explicita os municípios obrigatórios e orienta o processo participativo, a de nº34 que define o conteúdo mínimo do Plano Diretor Participativo e a de nº 83 que orienta o processo de revisão de planos diretores.
A Secretaria Nacional de Programas Urbanos realizou 44 oficinas, com o apoio dos núcleos, que formaram 3150 multiplicadores da Campanha, de todos os Estados e dos mais diversos segmentos: prefeitos, vice-prefeitos e técnicos municipais; vereadores; movimentos populares de luta por moradia; entidades regionais do Forum Nacional da Reforma Urbana; universidades; ONGs, órgãos públicos federais e estaduais, sindicatos e entidades profissionais, ministério publico etc.
São políticas que buscam garantir uma cidade que inclua as pessoas, que desenvolva políticas que melhore a qualidade de vida e que cada cidadão e cidadã possa opinar sobre o modelo de política de habitação, acesso à terra, saneamento, transporte da sua cidade. O lado triste é que a Lei está sendo desrespeitada pela maioria dos gestores municipais. Mas a lei por si só e a vontade do poder público não são suficientes para o avanço necessário. Devemos aliar a nossa vontade e a mobilização popular e política para fazermos alguma coisa acontecer. O caminho não é fácil, é um grande desafio. Mas tem que ser enfrentado.
DEIXA O HOMEM TRABALHAR
José Queiroz e recebeu o troféu Prêmio Prefeito Empreendedor Sebrae 2011. Caruaru se destacou entre as demais no Estado por ter desenvolvido projetos voltados para os micro e pequenos empresários, ao lado de parceiros importantes como o Governo do Estado, a Acic e o próprio Sebrae, além de ter atuado na promoção das cadeias produtivas do município.
Só este ano Caruaru venceu a Palma de Ouro e o Gestor Nota 10 na área de educação, ficou entre as ganhadoras do Prefeito Amigo do Emprego 2011, e ficou entre as cidades brasileiras contempladas com o prêmio da Organização Mundial de Estados e Municípios, entregue na Alemanha.
FAZENDO JUSTIÇA E HISTÓRIA
A Câmara Municipal entregou na quarta-feira passada o título de cidadão de Caruaru a Jaime Amorim, dirigente nacional e militante social no Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, MST PE. Como este blog reportou a Câmara virou um “mar vermelho” de gente para prestigiar o dirigente. Apesar dos vereadores votarem por unanimidade a propositura de Lícius que mais uma vez faz história no mandato, a ausência dos vereadores foi lamentável.
NUM DIA COMO HOJE
Em 16 de dezembro de 1770 nascia em Bonn o compositor alemão Ludwig van Beethoven, gênio e rebelde, admirador da Revolução Francesa, cantor da liberdade e do heroísmo. Dos 73 anos que viveu, 37 passou-os doente, sofrendo num mundo que não o compreendia e que ele não queria compreender.
“Então… É Natal?
9/12/2011
Estamos concluindo mais um ano em nossas vidas. A cidade se antecipou e o velho Nicolau já passou por aqui colorindo as ruas, corais musicam eventos, luzes coloridas brilham nas avenidas, enfeites ornamentam as vitrines das lojas,… Novembro nem havia terminado ainda e já é Natal!
O governo antecipou o 13º e o servidor foi às compras movimentando o comércio, o trabalhador com dinheiro no bolso se diverte e adquire novos bens, na saída do colégio os jovens vão aos centros de compras namorar e curtir o tão esperado fim de tarde, …Dezembro chegou e já é Natal. Por trás deste cenário ainda há uma dura realidade.
Parte da cidade anda nas sombras, com crianças olhando de longe a passagem do Noel, roncos musicam estômagos vazios, os olhos (lacrimejando) de pais brilham nas calçadas das lojas, sem ter o que comer nem poder comprar,… Mais um ano sem emprego e o Natal já era.
Os mais abastados doam suas sobras, religiosos também; o assalariado negocia suas dívidas e vai beber o que sobrou, a juventude longe da escola estão nos guetos curtindo os seus fins, alguns desesperados se drogam,… Outros, sem ter o que comer nem o que vestir perambulam, …Pra esses não há Natal.
Por trás desta realidade há um mundo possível. O bom velhinho rende-se àquele menino na manjedoura unindo todos num mesmo espírito natalino, a cidade assiste seus cidadãos refletirem e mobilizarem-se exercitando a partilha, o governo age e encoraja para as práticas sociais espontâneas,… Chegou o Natal! Setor público, instituições e comunidade: Nós temos condições de possibilitar essa realidade.
O Betinho deixou a fórmula: “é preciso ter confiança em que essa mudança vai partir de nós. Ela não vai cair do céu. Ela não vai ser feita pelos outros para nós. Ela vai ser feita de nós para os outros (…), tem só um “se”, e o “se” é você. Se você decidir fazer isso acontecer.”.
SINAL DE ALERTA
Dezembro é o mês das compras, vivemos num calor sufocante, num trânsito agitado, a Sulanca, calçadas e lojas entulhadas de gente com muita pressa e pouca paciência. Lembre daqueles que te amam, sua família e a vida como presente maior de Deus para você preservar.
FAZENDO DIFERENÇA
As denúncias envolvendo desvios de conduta por parte de algumas ONGs não podem ser generalizadas. Oportunistas e dissimulados teremos em todo e qualquer lugar. Não devemos descrer nesse segmento, pois, tem muita gente boa e séria atuando e com resultados inquestionáveis. Em Caruaru, por exemplo, acompanhamos diversas entidades que desenvolvem um trabalho ético.
CONTINUO ACHANDO…
Covardia o que a grande mídia fez com Cajurú e um exagero o que a Band fez com Rafinha Bastos. Mesmo crendo que “Peixe morre pela boca” e que devemos ser “tardio no falar e prontos a ouvir”. O que está em questão não é a liberdade de expressão, ele errou e merecia, sim, punição; mas quem decidiu sobre a disciplina foi infeliz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário