Jornalismo Pernambucano perde Antônio Miranda

novembro 15, 2018


O jornalista Antônio Miranda, um dos principais expoentes do jornalismo pernambucano, morreu na manhã desta quinta-feira (15) aos 95 anos. 
O jornalista atuou em vários veículos de comunicação, como o antigo "Jornal do Agreste". Ele também foi correspondente do "Diário de Pernambuco" e tinha uma coluna no "Jornal Vanguarda".

O sepultamento será nesta sexta-feira (16), às 10h, no Dom Bosco.

Antonio Miranda Cavalcante 

É natural de Caruaru, da Rua Preta, 1/4/1923. Perdeu sua mãe quando ainda tinha um ano. Miranda trabalhou desde criança com o pai, Miguel Miranda Cavalcante, num armazém na rua dos Sapateiros. Lia com muita atenção os jornais e revistas que o pai comprava, aos domingos. Já na adolescência teve seu primeiro poema publicado no Jornal vanguarda. Em seguida permaneceu escrevendo poesias e crônicas para os jornais como "A Defesa". Em parceria com Azael Leitão, Nelson Barbalho, Luiz Torres entre outros, fundou o "Jornal do Agreste".

Casou com Alexandrina Vasconcelos Cavalcante e com ela teve três filhos: Antonio, Sueli e Rosa. É tio da conhecida jornalista Carol Miranda. 

Cursou "guarda livros", na antiga Academia de Comércio, graduando-se pela Faculdade de Direito de Caruaru e, em 1963, participou de Curso Intensivo de Jornalismo. Na década de 50 acompanhou o mestre Vitalino em uma viagem ao Rio de Janeiro.

Além de noticiar os bastidores do mundo político João Miranda abordava economia e religião. Uma matéria sua (Vaca no Telhado) chegou a ser reproduzida em jornais de todo Brasil e exterior. Rendendo comentários feitos pela BBC de Londres, e pela Voz da América, nos Estados Unidos.

Você pode gostar também

0 comentários