Wife Ralph: Quebrando a Internet por Mary Queiroz

janeiro 10, 2019


Apaixonante e divertido em todos os momentos.


   Quem ainda não assistiu o primeiro filme Detona Ralph (2012), seria bom dar uma conferida antes de navegar nesta sequência, onde trás Ralph  não só detonando como quebrando a internet literalmente. E mais uma vez, ele está acompanhado de sua grande amiga Vanellope, uma das princesinhas mais carismática e gente boa  das animações. Em Detona Ralph, acompanhamos o nascimento da amizade dos dois numa aventura que se passava dentro de jogos, agora vamos ver os dois amigos numa viagem fantástica rumo ao desconhecido. 
    A ideia com que fez Ralph, o vilão dos videogames, e sua melhor amiga, a destemida corredora Vanellope, deixarem o fliperama Litwak e partirem numa aventura na internet foi magnífica e totalmente atual, justamente porque eles vão em busca de uma peça  para salvar o videogame de Vanellope, Corrida Doce, que corre o risco de ser desligado para sempre, coisa que sempre acontece com produtos que vão ficando obsoletos e na maioria das vezes, as pessoas preferem descartar que consertar, diante da dificuldade de encontrar peças com preço acessível. Assim é na vida real e também no filme, e é daí que, Ralph decide ir pra internet junto com Vanellope, buscar a peça e voltarem para o jogo em segurança.
    Impossível não vibrar com este filme, pois ele realmente consegue nos colocar no mundo virtual e vai mais além, nos permite ver como de fato funciona a internet, sites, redes sociais e aplicativos. Em todos os momentos, nos divertimos com o encantamento dos personagens diante da sensação causada pelas  descobertas feitas, e pra nosso surpresa, percebemos que assim como Ralph e Vanellope, nós também temos esta mesma sensação quando estamos conectados. 


   Wife Ralph: Quebrando a Internet é a perfeita união da criatividade com um roteiro inteligente, em iguais medidas engraçado e emocionante que fará rir e derreterá corações de crianças e adultos igualmente. Some à isso personagens apaixonantes e a criação de um fantástico universo virtual e o resultado é hipnotizante e arrebatador do começo ao fim, literalmente sem qualquer falha. Aqui, os esforços da  para criar a  personagem feminina forte, porém meiga foi bem aceita, principalmente porque o roteiro apresenta  uma garotinha que foge do estereótipo “frágil”  para  demonstrar que ela,  embora pequena,  é também independente e dona de uma maturidade admirável e encontraram  maneiras super criativas para representar sua personalidade, sem falar que visualmente ela e encantadora.
    No entanto, Wife Ralph: Quebrando a internet não é simplesmente um espetáculo virtual, é também, um filme de ideias, que trata de comportamentos, amadurecimento e evolução com seriedade. Aqui, o ambiente virtual é extraordinário e tudo isso é traduzido cuidadosamente em formas, cores e texturas, demonstrando sintonia com o interior e exterior dos personagens. Toda confusão já esperada ser criada pelo desespero de Ralph, é retratado de forma  consciente enquanto as  emoções de Vanellope reflete a crise existencial  e seu amadurecimento diante das escolhas a serem feitas. 


   Certamente que os diretores Rich Moore e Phil Johnston, aproveitaram todas as possibilidades e criaram um mundo tecnicamente impressionante, sabendo como exemplificar  com detalhes as distrações, os produtos, conteúdos, busca de usuários, comportamentos diversos na internet, perigos, fama, meríto e imagem de quem depende do sucesso causado na rede para ganhar dinheiro e principalmente a carreira do influenciador digital, profissão que cresce a cada dia atualmente. Tudo isso e muito mais são trabalhados na trama de forma simples, objetiva e leve na mesma proporção em que acompanhamos o desenvolvimento dos personagens.  Aqui Ralph e Vanellope vão enfrentar novos desafios e conflitos diferentes no que se refere a amizade deles. Ele protetor e amigo, tem agora a oportunidade de aprender mais sobre os aspectos e situações que envolve uma relação de companheirismo e pra que ele possa entender o significado das palavras respeito e empatia, ele vai cometer erros, mas também vai acertar quando travar uma luta pessoal com seu egoísmo e sua insegurança . Vanellope, por outro lado tem uma personalidade diferente e isso faz com que ela enxergue mais além, claro que com sensibilidade e empatia para não magoar o amigo, mas também com muita disposição e coragem pra vivenciar coisas novas.
   Vale lembrar que a maioria dos personagens presentes no filme anterior tem pouca participação, dando espaço pra que novos sejam inseridos e desenvolvidos de acordo com a necessidade da trama e certamente que todos cativam quando estão em ação, mas o destaque,  vai para a cena onde Vanellope  e as princesas da Disney se encontram e pra outra onde o personagem  da Marvel, o Groot aparece. Inesquecivel sua participação e seu "I am Groot" aqui. Agora emplogação mesmo é quando Vanellope conversa com as princesas. Os diálogos são inteligentes, dinâmicos e super, super divertidos.


  Enfim, Wife Ralph: Quebrando a Internet é espetacular por vários motivos e faz a gente navegar  no maravilhoso mundo da internet e  enxergar o mundo e as pessoas diante de novas perspectivas, além da necessidade de inovar os serviços e na  importante criação de novos meios de comunicacão para que as pessoas possam estar conectadas umas com as outras e estarem presentes mesmo que distante. No mais, o filme é consciente e contextualiza bem o que de fato  é relevante na internet e abre espaço ainda pra fazer de forma sutil pequenas críticas a conteúdos que viralizam  na rede e chama a atenção para a grande maioria dos usuários que buscam conteúdos  vazios, sem qualidade e banais. Sem dúvida uma animação que vai conquistar, divertir e emocionar a todos, sobretudo porque deixa uma das mais belas mensagem de respeito e amizade. Apaixonante em todos os momentos, assista Wife Ralph: Quebrando a internet!

#Assista
#Filmenota9
#Deixeseucomentário

PROGRAMA CLUBE DO FILME

   Neste sábado, às 13h e na Rádio Cultura do Nordeste, tem  O  PROGRAMA CLUBE DO FILME,  apresentado por Edson Santos e Mary Queiroz. 
No segundo programa do ano, na série CINEMA E PSICOLOGIA, vamos debater sobre o filme: AS NOVE VIDAS DE LOUIS DRAX. Nos Estúdios da Cultura, teremos a presença da Psicanalista Eryka Albuquerque e da Psicóloga Heddylamarr Rosas. Como pode uma criança desde seu nascimento, sofrer tantos acidentes? Quais segredos sua mãe esconde? O que é a Síndrome de Münchhausen por procuração?  Tudo isso e muito mais, no Clube do Filme. Ouça pelo site:
HYPERLINK "http://www.radioculturadonordeste.com.br" www.radioculturadonordeste.com.br

Acompanhe ao vivo pela LIVE do facebook:  HYPERLINK "http://www.facebook.com/RadioCultura1130" www.facebook.com/RadioCultura1130

ESTREIAS DA SEMANA

HOMEM-ARANHA NO ARANHAVERSO

    Peter Parker morre fazendo Miles Morales se tornar o novo Homem-Aranha, no entanto Miles tenta prender o Rei do Crime, que secretamente planeia roubar recursos e tecnologia de outras dimensões. Mas devido à interferência de Miles Morales, Homens-Aranha de outros universos paralelos começam a aparecer em Brooklyn, como o Peter Parker de outra dimensão, a Aranha-Gwen, o Aranha-Noir, Ar//nh (Peni Parker), e o Porco-Aranha.
    Filme de animação dos Estados Unidos, baseado nas histórias em quadrinhos do personagem Miles Morales/Homem-Aranha da Marvel Comics, produzido pela Columbia Pictures e Sony Pictures Animation em associação com a Marvel Entertainment e distribuído pela Sony Pictures Releasing. O filme se passa em um multiverso compartilhado chamado de "Aranhaverso", que possui universos alternativos diferentes. O filme é dirigido por Bob Persichetti, Peter Ramsey e Rodney Rothman, com roteiro escrito por Phil Lord e Rothman. O elenco é composto por Shameik Moore interpretando Miles Morales, além de Hailee Steinfeld, Mahershala Ali, Jake Johnson, Liev Schreiber, Brian Tyree Henry, Luna Lauren Velez, Lily Tomlin, Nicolas Cage, Kimiko Glenn e John Mulaney. No filme, Morales se torna uma das versões alternativas do Homem-Aranha.

Os planos para um filme de animação do Homem-Aranha, desenvolvidos por Lord e Christopher Miller, foram inicialmente revelados em 2014 e oficialmente anunciados em abril de 2015. Persichetti, Ramsey e Rothman se juntaram ao projeto nos dois anos seguintes, com Shameik Moore e Liev Schreiber sendo escalados para o elenco em abril de 2017. Lord e Miller queriam que o filme tivesse seu próprio estilo único, combinando a animação computadorizada interna da Sony Pictures Imageworks com as técnicas tradicionais de desenho à mão inspiradas no trabalho da co-criadora de Miles Morales, Sara Pichelli. Para completar a animação para o filme, foram necessários 140 animadores, sendo esta a maior equipe já usada em um filme da Sony Pictures Animation. Spider-Man: Into the Spider-Verse foi lançado a 14 de dezembro de 2018 nos Estados Unidos e arrecadou mais de US$ 213 milhões em todo o mundo. O filme está planeado para estrear no Brazil em 10 de janeiro de 2019.

MÁQUINAS MORTAIS

    Após um conflito cataclísmico conhecido como a Guerra dos Sessenta Minutos, os remanescentes da humanidade se reagrupam e formam cidades “predadoras” móveis. Sob uma filosofia conhecida como "Darwinismo Municipal", as grandes cidades caçam e absorvem assentamentos menores no "Grande Campo de Caça", que inclui a Grã-Bretanha e a Europa Continental . Em oposição, os assentamentos da "Liga Anti-Tracção" desenvolveram uma civilização alternativa que consiste em "assentamentos estáticos" (cidades tradicionais e não móveis) na Ásia, liderados por Shan Guo (ex-China), protegidos pela "Muralha de Escudos". Relíquias da tecnologia moderna, como torradeiras, computadores e smartphones, são valorizadas como "Old-Tech".
A cidade de Londres captura uma pequena cidade mineira chamada Salzhaken, absorvendo sua população e recursos, sob as ordens do Lord Mayor Magnus Crome. Uma mulher mascarada entre os Salzhakens é Hester Shaw, que procura assassinar Thaddeus Valentine, chefe da Guilda de Historiadores. Tom Natsworthy, um adolescente aprendiz de historiador, é enviado para "Gut", de Londres, para colecionar Old-Tech para o Museu de Londres, acompanhado pela bem-humorada filha de Valentine, Katherine. Hester tenta matar Valentine, mas Tom intervém, perseguindo Hester para uma rampa de resíduos. Hester escapa, mas não antes de dizer a ele que Valentine assassinou sua mãe e marcou seu rosto. Quando Tom informa Valentine sobre isso, ele empurra Tom pela rampa.

     Filme de aventura pós-apocalíptico de 2018, dirigido por Christian Rivers e com roteiro de Fran Walsh, Philippa Boyens e Peter Jackson, baseado no romance homônimo de Philip Reeve e estrelado por Hugo Weaving, Hera Hilmar e Robert Sheehan, Jihae, Ronan Raftery, George Leila, Patrick Malahide e Stephen Lang. Uma co-produção norte-americana e neo-zelandesa, o filme é ambientado em um mundo pós-apocalíptico onde cidades inteiras foram montadas sobre rodas e motorizadas, e atacam umas às outras.
Jackson comprou os direitos do livro em 2009, mas o filme definhava por vários anos antes de ser oficialmente anunciado em 2016. Jackson escolheu Rivers, que ganhou um Oscar de Melhor Efeitos Visuais por seu trabalho em King Kong de Jackson , para fazer sua estréia na direção. com o projeto, e também trouxe vários membros de suas equipes de produção da série de filmes O Senhor dos Anéis e Hobbit. As filmagens ocorreram de abril a julho de 2017 na Nova Zelândia.
    A Mortal Engines teve sua estréia mundial em 27 de novembro de 2018 em Londres, foi lançada nos cinemas na Austrália e Nova Zelândia em 6 de dezembro de 2018 e nos Estados Unidos em 14 de dezembro de 2018. O filme recebeu críticas mistas dos críticos, alguns de quem elogiou os efeitos visuais e marcar com a maioria criticando a direção, roteiro e "falta de personalidade". [8] Foi uma bomba de bilheteria, tendo arrecadado mais de US$69 milhões em todo o mundo contra um orçamento de produção de pelo menos US$ 100 milhões, com prejuízos estimados para o estúdio chegando a US$ 150 milhões.

Confira o Trailer



Você pode gostar também

0 comentários