Luto no Teatro Pernambucano

julho 11, 2018


Faleceu hoje aos 56 anos o ator pernambucano Silvio Pinto. A notícia foi dada em rede social do facebook pela família do ator, seu corpo será velado a partir das 18 horas de hoje no Cemitério de Santo Amaro, em Recife, e o enterro deve acontecer amanhã em Igarassu.


Nota da Família:

É com imenso pesar e dor que comunico a todos a partida do ator, professor, pai, amigo, avô e tão amado e admirado por todos nós: Silvio Pinto. Quem o conhecia, sabia da sua força, garra e amor pela arte e os ensinos.

Peço, encarecidamente, muitas orações e pensamentos positivos para a passagem do meu pai e que ele encontre conforto no mundo da luz.

Com amor e gratidão: Família Vieira, Pinto e Borges.

Silvio Pinto era também professor, o ator vinha em um tratamento de saúde iniciado em outubro do ano passado. Silvio atuou em peças como: "Cão sem plumas", de João Cabral de Melo Neto, Obsessão no ano de 2015. Também participou de curtas-metragens da cena pernambucana, como "My way" e "O presidente dos Estados Unidos", do cineasta Camilo Cavalcante.

Vários amigos se despediram do ator com mensagens em sua linha de tempo:



"Em tempos de heroísmo, deixem-me falar sobre um dos meus heróis. Deixem-me falar pois ele partiu e eu não me perdoo por ter achado, por um momento, que ele seria eterno; e será, ao menos para mim, em minha memória.
Silvio Pinto era completa luz, força, inteligência e energia, em tudo que propunha, em tudo que fazia, em toda a faísca que via em seus alunos e pessoas queridas, e fazia questão de acender o fogo e incentivar a prática dos sonhos de cada uma dessas pessoas.
Fui aluno de redação de Silvio nos meus últimos anos de Lubienska, colégio que estudei por toda a vida. Ele me ensinou tudo que poderia aprender na construção textual, cumpriu inapelavelmente seu papel como educador, e foi um dos grandes incentivadores de uma jornada profissional que, na época, ainda era um grande sonho.

Silvio lia, ouvia, discutia e pensava... Sempre em conjunto, sempre em sintonia. Minha gratidão sempre foi imensa, sempre. Um dia, já fora do colégio, em uma visita apenas para matar a saudade do Lubi, tive a oportunidade de expressar tudo isso a ele, mas ainda senti que foi pouco, que não consegui dimensionar.
Eu falo sério. Perdi um herói hoje. Soube que o perdi por uma mensagem de whatsapp. Isso não é justo, não é justo, jamais será. Isso dói muito, não tenha duvida que dói. Eu poderia ter convivido mais, muito mais. Eu pensei que seria eterno, pelo professor querido que era, pela figura espetacular que era, adorado por todos, mas não... A vida é um sopro; e para ele uma arte.
Dói demais. De verdade. Impossível dimensionar qualquer coisa que ele representou para mim, impossível expressar a referência que foi e sempre será. Mas ao menos tento através da arte na qual ele me ensinou com tanta paixão: a escrita.
Obrigado por tudo, professor e amigo, eterno amigo. Um dia nos encontraremos novamente, tenho certeza.
(Foto da interpretação de  'Cão Sem Plumas', de João Cabral de Melo Neto e Antônio Carlos Secchin) 
Antonio Gabriel Machado

Espetáculo "O Cão Sem Plumas", de 2007. Crédito: Ivana Borges.

"E partiu deste palco um grande mestre, ator, militante e um ser que tive muito prazer em encontrar nesta caminhada. Meus sentimentos aos familiares, acredito que descansou da luta que travava, porém fará muita falta."
Aldicema Gregório

"Meu querido amigo se encantou! Silvio Pinto meu lindo! Salve tua alegria! Salve teu amor ao Teatro! Salve tua dedicação a tantas e tantas crianças, adolescentes! Que o Universo te acolha na sua infinita bondade! Que o Universo ampare a tua família e a todos nós que ficamos aqui, roendo de saudades. Tua passagem foi linda nego, arrasse visse! Palmas para tu Silvio Pinto! Palmas!!"
Marcia Cruz

"Hoje acordei às cinco da manhã e uma chuva fina lutava com os raios do sol para escurecer o mundo, senti que seria seu último dia, o sopro último de sua vida que estava se indo e iria tirar daqui sua alegria. Fiquei muito mais pobre hoje sem você. Meu amigo há quase 30 anos, parceiro de ideias, de risadas, de projetos mirabolantes para dominar o mundo, parceiro de rua, de andar de madrugada pelas calçadas rindo até das estátuas. Meu amigo de poesia, de comer macarrão escultural, de falar "mal" dos amigos, parceiro de teatro, de uma inteligência fina, arguta e de uma voz encantatória; advinhava meu pensamento, mal eu acabava de ter uma ideia e ele já estava completando, - "Você roubou minha ideia seu pilantrex" bradava eu e ele ria e ria e eu brigava, fazia que brigava. Parceiro na arte, na ilusão e na magia que o mundo é, a vida era mágica para ele. Quantas vezes passamos horas falando sobre coisas insignificantes, folhas caindo devagar na calçada, portas que rangiam, coisas abandonadas, rodas jogadas nas calçadas, caixas, latas e garrafas brilhando em plena noite para para ninguém, para as coisas abandonadas tínhamos sempre projetos vivamente imaginados que se dissolviam antes as obrigações do dia seguinte. Você, um respiração criativa do mundo. 
Não consegui lhe responder a pergunta que fizestes. A porta que dá para o céu não tem céu. agora eu sei."
Daniela Câmara

"Foi o melhor monólogo que já assisti, e fotografei, na minha vida. Um grande ator. Um grande homem. Foi um privilégio conviver com você."
João Rogério Filho

"Quando um mestre que une arte e militância à Educação se vai, nos sentimos enfraquecidos. Mas concomitantemente nos unimos ainda mais pra fazer do Luto verbo."
Luz, Silvio Pinto!
Ray farias

"Temam menos a morte e mais a vida insuficiente.
Foi o que disse Bertolt Brecht, um dos tantos autores que Silvio Pinto me ensinou a gostar, degustar e inspirar minha vida em tantos aspectos. Pelo que conheci de Silvio, e o legado dele fala muito por ele, jamais temeu uma vida insuficiente. Uma vida de crenças, de produções artísticas, do amor pela profissão e pelo teatro. Hoje eu sei um pouco do que é o teatro e o que ele significa por causa dessa vida de Silvio que não teve medo de viver uma vida insuficiente.
Silvio, alegra o céu, ou qualquer nome que as pessoas queiram dar, com o Arlequim, com O Pequenino Grão de Areia, entre tantas coisas massa que você nos proporcionou. Aqui ficamos com a saudade, as lembranças e o que te torna eterno: o teu legado."
Erik Casal

"Hoje acordei às cinco da manhã e uma chuva fina lutava com os raios do sol para escurecer o mundo, senti que seria seu último dia, o sopro último de sua vida que estava se indo e iria tirar daqui sua alegria. Fiquei muito mais pobre hoje sem você. Meu amigo há quase 30 anos, parceiro de ideias, de risadas, de projetos mirabolantes para dominar o mundo, parceiro de rua, de andar de madrugada pelas calçadas rindo até das estátuas. Meu amigo de poesia, de comer macarrão escultural, de falar "mal" dos amigos, parceiro de teatro, de uma inteligência fina, arguta e de uma voz encantatória; adivinhava meu pensamento, mal eu acabava de ter uma ideia e ele já estava completando, - "Você roubou minha ideia seu pilantrex" bradava eu e ele ria e ria e eu brigava, fazia que brigava. Parceiro na arte, na ilusão e na magia que o mundo é, a vida era mágica para ele. Quantas vezes passamos horas falando sobre coisas insignificantes, folhas caindo devagar na calçada, portas que rangiam, coisas abandonadas, rodas jogadas nas calçadas, caixas, latas e garrafas brilhando em plena noite para para ninguém, para as coisas abandonadas tínhamos sempre projetos vivamente imaginados que se dissolviam antes as obrigações do dia seguinte. Você, um respiração criativa do mundo. 
Não consegui lhe responder a pergunta que fizestes. A porta que dá para o céu não tem céu. agora eu sei."
Fátima Costa

"E lá se foi Silvio Pinto brincar em outras paragens!
Que siga em paz!"

Leidson Ferraz



"Silvio Pinto, Meu Arlequim querido e amigo fraterno, descanse em paz. Os espíritos de luz te dê muita luz e que Deus te ponha num bom lugar. Grande Ator, pai e amigo, mais um que se vai..."
Ivonete Melo - presidente do SATED
Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversão no Estado de Pernambuco

Você pode gostar também

0 comentários