Sobre a resiliência quilombola e fotojornalística

julho 11, 2018


Uma boa notícia está circulando no ambiente jornalístico de Caruaru. Estudantes do bacharelado em Jornalismo do Centro Universitário Tabosa de Almeida (Asces-Unita) ganharam o Prêmio Expocom, na modalidade ‘Produção em Fotojornalismo’. A premiação ocorreu no sábado 07, na Universidade do Estado da Bahia (Uneb), em Juazeiro-BA, dentro da programação do XX Congresso de Ciências da Comunicação na Regional Nordeste.

O título da série de imagens foi ‘Novos olhares sobre a resiliência quilombola’. No trabalho, ainda inédito, os graduandos analisam os processos multiformes que imiscuem-se nos movimentos de manutenção e transformação das tradições na comunidade quilombola do Castainho, em Garanhuns.

Os estudantes que realizaram o trabalho foram: Pedro Hierro, Laís Milena, Giovanna Santos, Matheus Antunes, Natália Rarine e Iale Figueira. Eles contaram com a orientação do professor Diogenes Barbosa – o qual, apesar de jovem, conta com vasta experiência em veículos de comunicação e assessoria de imprensa em Caruaru e na região.

Foto: Leonardo Cícero
Com a premiação, os estudantes garantiram a presença da Asces-Unita na final do Prêmio Expocom nacional, que está previsto para ocorrer em Joinville-SC, no início do mês de setembro. Ademais, ainda há a pretensão de realizar a exibição das imagens em Caruaru na terceira edição da mostra Novos Olhares, que deverá ocorrer a partir da segunda quinzena de setembro.

Porém, o ponto-chave da premiação é o caráter crítico presente nas imagens. Mais do que uma preocupação com os aspectos técnicos da fotografia, o trabalho auxiliou no desenvolvimento do senso crítico dos alunos, que passaram a enxergar além dos acontecimentos apresentados no local. Com isso, esperamos que, em breve, tenhamos no mercado profissionais ainda mais capacitados, com condições de fazerem leituras aprofundadas acerca da realidade que os circunda.

Em tempos de ‘fake news’, é imperioso investir na formação de profissionais com visão crítica, isenção, equilíbrio e compromisso com a verdade. É gratificante saber que há essa preocupação em Caruaru. E que esses jovens bacharelandos não são apenas esperança, mas já são uma prova de que dias melhores virão para o jornalismo do nosso Estado.

Você pode gostar também

0 comentários